26.6.09

Torquato da Luz



Tem o cheiro do Verão quando amanhece
E dos seus olhos, onde é sempre dia,
desprende-se uma luz que me deslumbra.
Ao caminhar, em seu redor parece
que o ar se faz de sol e maresia
sem a mais leve réstia de penumbra.
E eis que em desafio serpenteia
onde o mar vem deitar-se com a areia.



Aguarela de Por amor e Outros Poemas, papiro editora
Imagem: Ben Goossens

2 comentários:

Torquato da Luz disse...

Grato pela distinção.
Gostaria, no entanto, de anotar dois pequenos lapsos na transcrição:
- o terceiro verso é: "desprende-se uma luz que me deslumbra";
- o quinto verso é: "que o ar se faz de sol e maresia".
Questão de métrica.
Um bj.

nadir disse...

Muito obrigado pelo alerta, por mais cuidado que tenha, deixo sempre que aconteçam lapsos destes, imperdoáveis, numa poesia tão bonita.

Agradeço igualmente a sua amável visita.

abraço

margarida