7.9.09

Momentos...



Era uma mulher igual a tantas mulheres. Corça esquiva que lançava lamentos entardecidos junto à coluna onde os dias, registavam marcas, lentas memórias de promessas de felicidade. Era apenas uma mulher, um rosto evadido do mundo que contemplava, debruçada sobre na sua própria imagem, as grinaldas que as nuvens ofereciam ao percurso do etéreo voo das gaivotas. Mulher menina, tão igual e tão diferente, ou simplesmente, mulher cansada, porque a melhor parte de si, há muito que morrera com a rosa.


nadir

Imagem: Daniele Manfredini

3 comentários:

Anónimo disse...

Resgatêmo-la e amêmo-la e a rosa desabrochará.




Abraço encantado.

Blue

nadir disse...

Oi bluínha, tu tens sempre palavras bonitas para escrever e deixar aqui. palavras que apenas nós entendemos, não é?

um besito grande

m.m.

Anónimo disse...

É mesmo, m.m.


Je t'embrasse.

blue