19.11.09

Rui Pires Cabral



A noite em que nos sentámos no muro
entre os quintais. O mundo estava aninhado
sob o tecto dos teus sentidos, recuava
à posição pouco óbvia
de um jardim.

Vinhas com o tempo certo sobre
as silvas, já punhas o amor a arder
nos canteiros. Não valia a pena explicar
uma coisa tão rara.



big night de Música Antológica & Onze Cidades, Editorial Presença
Imagem: Barbara Cole

5 comentários:

comboio turbulento disse...

em cada regresso uma surpresa maior. este blogue está melhor de dia para dia. E pensar que o conheci há muito muito tempo noutra plataforma!

Anónimo disse...

Explicar para quê?

Seria uma redundância a perder valor...


Je t'embrasse chaleureusement, m.m.!

nadir disse...

kim e para mim, cada chegada tua é sempre uma surpresa tão agradável.

beijinho

m.m.

nadir disse...

anónimo eu palpita-me que o teu nome é blue, não é verdade?

abraços

m.m.

Anónimo disse...

Yes m.m., that's me.

Blue Hug